Nosso Blog

21
January
Sabia que é importante beber água durante os exercícios?

Exercício físico é sinônimo de saúde, bem-estar, qualidade de vida e longevidade. Para potencializar e não correr variados riscos é necessário que o atleta, seja amador ou profissional, mantenha-se hidratado durante as práticas. Ou seja: é indispensável que as pessoas entendam porque é importante beber água durante a prática de exercícios físicos.


Se você já assistiu alguma competição em alto nível, como modalidades coletivas ou de atletismo, deve ter reparado que os atletas constantemente se hidratam durante a competição. Mas, por que isso? Qual a consequência? O que ocorre se a pessoa não beber água durante a prática de exercícios físicos? É disto que iremos tratar abaixo, então vem com a #DicaClick !


A hidratação

Fatores como a temperatura, umidade relativa do ar e intensidade do exercício físico podem fazer a pessoa perder quase dois litros de água em apenas uma hora. A principal consequência é a desidratação: através do suor o corpo elimina muito líquido e, consequentemente, perde suas reservas de água, acelerando o trabalho do metabolismo, como o bombeamento de sangue.

Assim, beber água durante a prática impede que você tenha o principal problema dos atletas nesse sentido: a desidratação. O mito de que ingerir líquidos durante o treino afeta o desempenho pode trazer consequências totalmente contrárias, como o tema do nosso próximo tópico.

 

Menos água, menos intensidade

A intensidade da prática esportiva vai diminuindo à medida que o corpo vai desidratando. Segundo os especialistas, a perda de 2% do total da água do corpo já diminui o rendimento do atleta, que baixará não apenas a capacidade muscular, mas também pode trazer problemas na concentração e foco – principalmente em esportes que exigem isso.

 O cenário fica caótico quando a desidratação chega a mais de 5%: pode ocorrer problemas como demência ou coma e, em alguns casos, até mesmo a morte. Sendo assim, não apenas é importante beber água durante a prática de exercícios físicos, como também indispensável para o rendimento e saúde da pessoa.

 

Benefícios da hidratação nos exercícios físicos

Já falamos da importância da água para nossa saúde nesse post. Falando especificamente dos exercícios físicos, a água é um poderoso aliado das melhores performances, menores dores, alta intensidade e regulação do organismo. A hidratação nos exercícios físicos traz não apenas soluções preventivas, como os benefícios abaixo que são diretos para o organismo do atleta:

 – Reduz o cansaço e a fadiga, durante e depois da atividade;

– É um ‘parceiro’ da vasodilatação, que elimina toxinas no sangue, através da melhor na circulação sanguínea;

– Não possui calorias, contribuindo para exercícios que buscam a perda de peso;

– Ajuda a evitar cãibras, que acontecem por falta de nutrientes e um organismo bem hidratado.


Quanto de água devo beber?

Os valores variam de acordo com tamanho, peso e condições que o atleta é submetido. Meio litro de água uma hora antes e intervalos regulares durante a prática esportiva, de acordo com a necessidade do atleta, ajudam não só a combater a desidratação, como trazem os benefícios que elencamos anteriormente.

Vale destacar que há líquidos compostos, como os isotônicos, que repõem a perda de mineiras que também são eliminados com o suor. Contudo, esse tipo de bebida deve ser controlado e indicado por especialistas de acordo com a intensidade de cada esporte, melhorando e tornando mais prazeroso o seu exercício físico.


Fonte: IBBL

20
January
Treino ao ar livre é muito bom para a saúde física e mental

Praticar exercícios físicos é muito importante para a saúde física e mental, além de permitir um saudável contato social com a família, amigos e com novas e diferentes pessoas.

treino ao ar livre é ótimo para quem gosta de praticar exercícios em meio à natureza e ar fresco. E o melhor é que existem diversas modalidades, excelentes para a saúde e que atendem a todos os gostos. São atividades aeróbicas e de força, que proporcionam benefícios como diminuição da pressão arterial, melhoria da circulação sanguínea, aumento da resistência física, fortalecimento dos músculos e do coração, melhoria do sistema imunológico, combate da depressão e melhoria do humor, emagrecimento e diminuição de riscos de doenças como diabetes, obesidade, hipertensão e acidentes vasculares cerebrais. Quer saber quais as opções de treinos ao ar livre? Então vem com a #DicaClick e confira na lista a seguir.

1 - Corrida

A corrida queima calorias, pois eleva a frequência cardíaca, além de ser uma ótima atividade para as pernas. Ela é também um dos melhores exercícios para o coração e para os pulmões, para redução de gordura e para fortalecimento dos ossos.

2 - Ciclismo

Esse é um ótimo treino ao ar livre. Aproveite as ciclofaixas e os parques para a prática e fortaleça os músculos das coxas, glúteos e panturrilha. Andar de bicicleta é muito bom para o coração, ajuda a controlar a diabetes e aumenta os níveis de energia criando resistência física.

3 - Treino funcional

Consiste em utilizar o peso do corpo nas atividades, que trabalham vários grupos musculares ao mesmo tempo, como flexão de braço e agachamento. Mas além da força esses exercícios também trabalham o sistema cardiovascular com atividades como corrida, pular corda e polichinelo.

Ele é bem completo e dinâmico, os exercícios são feitos alternadamente e com pouco descanso, e é uma boa opção para fazer em parques e praças, porque precisa de poucos equipamentos. Uma corda, alguns pesinhos e elásticos são suficientes, mas não se preocupe se não tiver, pois a maioria dos exercícios é feita sem equipamentos. Fortalece os músculos, melhora a postura, trabalha o sistema cardiorrespiratório, o equilíbrio, a coordenação motora e a flexibilidade, e ajuda a emagrecer.

4 - Jump

Para fazer jump você precisa de uma pequena cama elástica. Basta fazer coreografias usando braços e pernas, dando muitos pulos. Você pode fazer no quintal de casa, mas aproveite um espaço ao ar livre, que será muito mais divertido. Essa atividade queima gorduras e fortalece a musculatura das pernas, braços e abdômen.  

5 - Step

Use uma plataforma para sua aula de step ou até algumas escadas no parque que costuma ir. A ideia é subir e descer alternando e elevando as pernas. O step é ótimo para as coxas, panturrilhas, glúteos e abdômen. Quem pratica gasta calorias e melhora o condicionamento físico e a coordenação motora. Gostou das dicas de treino ao ar livre? Então comece agora a praticar!

 

Fonte: Carrefour 

14
November
Corridas curtas e caminhadas rápidas controlam diabetes

Pesquisadores descobriram que pacientes que alternavam três minutos de caminhada rápida e três minutos de lenta, por mais de uma hora, controlaram melhor os níveis de açúcar no sangue.

Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro, trouxe a cor azul para as campanhas mundiais de divulgação e sensibilização em relação ao tema, seguindo exemplo da campanha para prevenção do câncer de mama, "Outubro Rosa". A data foi instituída pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1991, e conta com o reconhecimento e apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), que em dezembro de 2006 assinou uma Resolução reconhecendo o diabetes como uma doença crônica e de alto custo mundial.

Corridas curtas ou caminhadas rápidas podem ser a chave para o controle da diabete, de acordo com um novo estudo.

Com informações do site do jornal britânico Daily Mail. Segundo estudo, atividade ajuda o corpo a ter maior controle do açúcar no sangue. Pesquisadores descobriram que pacientes que alternavam três minutos de caminhada rápida e três minutos de lenta, por mais de uma hora, controlaram melhor os níveis de açúcar no sangue do que aqueles que fizeram caminhada em um ritmo constante.

Tradicionalmente, os diabéticos vêm sendo aconselhados a praticar caminhada moderada e evitar os exercícios de alta intensidade, que podem causar lesões. Mas cientistas da Copenhagen University descobriram que treinamentos de caminhada intervalada trazem maiores benefícios e levam a um maior controle do açúcar no sangue, o que é especialmente importante nos casos de diabete do tipo 2.

O estudo dinamarquês envolveu pacientes entre 57 e 61 anos com diabete do tipo 2, que receberam uma variação de medicamentos com exceção de insulina. Oito deles foram aleatoriamente designados para um grupo de controle, 12 a um grupo de treinamento contínuo de caminhada e 12 a um treino de caminhadas intervaladas.

Os dois grupos que caminharam foram instruídos a treinar por uma hora, cinco vezes por semana, durante os quatro meses de estudo. O treino intervalado consistia em uma caminhada rápida por três minutos e mais três lenta, com repetição deste sistema ao longo da sessão.

O objetivo era alcançar um pico 70% de gasto de energia durante o período rápido e 40% no lento. Os que caminharam em ritmo contínuo tinham o objetivo de atingir um pico de 55% de gasto de energia. Foi comprovado um melhor controle do açúcar no sangue apenas no grupo que alternou o ritmo.

Não houve alterações no grupo de caminhada contínua e nem no de controle.

A pesquisa foi publicada no jornal Diabetologia, da European Association for the Study of Diabetes.

#dicaclickRoupas

Com tantos benefícios para a saúde e bem estar, que tal colocar uma roupa confortável e praticar esta atividade?

Fontes: Terra e Paho 

12
November
Que tal um smoothie fresquinho pra iniciar uma semana linda?

Smoothies (macio em inglês) são deliciosas misturas de sucos de frutas, verduras, iogurtes, sorvetes e muitos outros ingredientes, que podem variar desde macadâmias até folhinhas de hortelã, dependendo do gosto e da criatividade de cada comensal.

O ideal é que todos os ingredientes sejam utilizados geladinhos ou até mesmo congelados, já que a delícia deve ter uma consistência mais cremosa, como a de um milkshake.

A mania de smoothies começou na década de 60, na California - Estados Unidos. A bebida nasceu da necessidade de se consumir produtos energéticos e de baixa caloria e gordura. Outros tipos de smoothies de frutas também podem ser encontrados em várias partes do mundo, como na área do Mediterrâneo e no Oriente Médio, este sob o nome de sharbat, utilizando iogurte, mel e fruta fresca.


Que tal uma receita Fit de smoothie de morango para adicionar a sua dieta?

Anota aí!

  • 10 morangos congelados
  • 1 banana congelada
  • 1 copo de iogurte desnatado
  • 1 colher de sopa de aveia .


É só bater tudo no seu liquidificador ou mixer e se refrescar!

Gostou?

10
November
Caminhadas curtas são benéficas para a memória.

Apenas 10 minutos de exercício leve por dia podem melhorar a capacidade de armazenamento de recordações

Uma dica da @clickRoupas é sempre usar roupas confortáveis e tênis adequado para o exercício, além de hidratar-se com muita água.

De acordo com os pesquisadores, a frequência e a quantidade exata de exercício dependem de alguns fatores relevantes, como idade, nível de mobilidade, incapacidade potencial e questões associadas ao estilo de vida (Pixabay/Pixabay). A prática da atividade física já é conhecida por trazer uma série de benefícios para a saúde. Agora, cientistas americanos e japoneses descobriram que apenas dez minutos diários de exercício leve são suficientes para melhorar a capacidade de armazenamento e recordação de memórias.

O estudo, publicado na segunda-feira 24 na revista Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS), revelou que atividades como caminhada, ioga ou tai chi estimulam a conectividade cerebral e impulsionam partes do cérebro responsáveis pela formação e armazenamento de lembranças. A descoberta oferece uma nova alternativa simples e eficaz de retardar — ou mesmo impedir — o declínio cognitivo.

De acordo com os pesquisadores, a frequência e a quantidade exata de exercício dependem de alguns fatores relevantes, como idade, nível de mobilidade, incapacidade potencial e questões associadas ao estilo de vida. Mas, no geral, uma caminhada à noite, por exemplo, é uma ótima opção.

O estudo

Para compreender como a prática de exercício físico está associada à memória, os pesquisadores monitoraram a atividade cerebral de 36 participantes, com cerca de 20 anos de idade, depois que alguns deles se exercitaram por dez minutos — momento que o pico de consumo de oxigênio está em 30%. O monitoramento também foi realizado nos indivíduos que não realizaram a tarefa, sendo repetido em alguns voluntários para conferir os resultados.

O teste de memória foi realizado por uma apresentação de imagens cotidianas aos participantes, que mais tarde eram testados para verificar o quão bem eles se lembravam do que haviam visto. “A tarefa de memória realmente foi bastante desafiadora. Usamos itens semelhantes muito complicados para ver se eles se lembrariam exatamente se a cesta de piquenique era a mesma ou era outra”, esclareceu Michael Yassa, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, ao The Guardian.

A observação mostrou que as pessoas que se exercitaram foram melhores em separar ou distinguir as diferentes memórias. A explicação: o cérebro apresentou uma comunicação aprimorada entre o hipocampo (área responsável pelo armazenamento das lembranças) e as regiões corticais, associadas à função de recordar memórias. Além de analisar a capacidade de recordação, os pesquisadores verificaram que houve mudanças benéficas no humor dos participantes.

Os resultados do estudo impactaram até mesmo a rotina dos pesquisadores. “Eu tento fazer reuniões enquanto caminho e todos nós tentamos nos levantar a cada duas horas e dar uma boa caminhada de dez minutos. Com base em minha experiência, não apenas o grupo é mais produtivo, mas estamos mais felizes”, revelou Yassa.

Terceira idade

Segundo Michelle Voss, da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, as regiões do cérebro envolvidas na pesquisa também desempenham papel no declínio da memória — problema comum ao envelhecimento. “Seria realmente emocionante ver esse tipo de experiência em adultos mais velhos”, comentou.

A equipe agora pretende analisar os efeitos prolongados do exercício leve em pessoas mais velhas que praticam atividade física por longos períodos de tempo. O objetivo é tentar prescrever um regime de exercícios específicos para idosos com deficiência e problemas de mobilidade e, assim, ajudá-los a evitar o declínio cognitivo.

Fonte: Veja